WhatsApp Image 2020-10-20 at 07.08.03.jp

Origem do nome:

JAQUIRANA é um vocábulo que significa CIGARRA CANTADEIRA, segundo informação passada, na década de 1.980, pelo estudioso Padre Osmar Possamai. E segundo o Irmão Jacob José Parmegnani, em um Congresso  de Botânica (Pelotas/RS), no ano de 1951, citaram Jaquirana como o nome de um lepidóptero (inseto), chamado pelos entomologistas de FULGORA LATERNARIA (latim), ou seja, que ilumina, que brilha... E, ainda, segundo o historiador Dr. Rui Rubem Ruschel, Jaquirana é nome de cigarra na língua Tupi. 

TERRA DO BICHO - a expressão ou epíteto “Terra do Bicho” referindo-se a Jaquirana, possui várias versões. Eis:

1) Jaquirana Terra do Bicho porque é o nome de um inseto (cigarra). Há o termo JAQUIRANABOIA chamado de cigarra-cobra. Muitos pensam ser uma serpente, mas na verdade é um inseto do grupo das cigarras. Por isso, antigamente diziam que Jaquirana era o nome de uma cobra.


Estudiosos dos séculos XVII e XVIII em pesquisas pelas florestas da América do Sul, afirmaram que jaquiranaboia era capaz de emitir luz à noite. Foi chamada de FULGORA que é a deusa do relâmpago na mitologia romana. E no latim, FULGUR é relâmpago. Então FULGORA LANTERNARIA é aquela que ilumina com lanterna. Enfim, todas as referências convergem para LUZ. 

 

2) TERRA DO BICHO porque o povo, antigamente, era muito valente, brigão. Por qualquer motivo acontecia uma contenda. E, geralmente, acontecia em reuniões, bailes e festas, espalhando-se assim a fama do lugar, gerando esse título que para a VILA era motivo de ofensa.

3) E há uma LENDA sobre a Terra do Bicho. Reza a lenda que um senhor de Jaquirana combinou com seu compadre, morador da cidade de Canela, que dia tal lhe enviaria, pelo ônibus um TATU. Era só o compadre esperar o ônibus na rodoviária. Organizado dentro de uma caixa, o bicho viajou para Canela. Acontece que o compadre esqueceu-se de ir buscar. E, lá o bicho ficou. Como ninguém procurava a encomenda, um funcionário foi espiar pra ver de que se tratava. Um colega lhe perguntou: “o que é?” E ele disse: “é um bicho”. Que bicho, perguntou o outro?. Resposta: O BICHO DA JAQUIRANA.  E assim Jaquirana ficou conhecida como a Terra do Bicho.  


Observação: Este epíteto foi no passado motivo de grande ofensa, gerando discussões e intrigas. Aos poucos foi sendo absorvido e hoje não gera mais incômodo, mas uma expressão que promove a terra.

Texto da Historiadora Vanete Ester Nunes.

A cidade...

Na época do descobrimento, o vasto planalto hoje pertencente ao território de Jaquirana era ocupado por índios Kaigangs. No século XVII, chegaram os missionários jesuítas e implantaram a criação extensiva de gado. Os bandeirantes paulistas também estiveram, exercendo suas atividades escravagistas e buscando os rebanhos deixados pelos jesuítas. No início do século XVIII os europeus e luso-brasileiros começam a marcar sua presença na região, representados por tropeiros e contrabandistas de gado. 

Em 1807, o Rio Grande do Sul cria a sua primeira estrutura administrativa territorial, formando quatro municípios. Um deles era Santo Antônio da Patrulha, que integrou onde hoje é o município de Jaquirana em seu território até 1878. A partir daí, a região onde hoje é Jaquirana passa a pertencer a São Francisco de Cima da Serra.

A história começa na época do desbravamento e colonização da Serra Gaúcha, em que colonizadores alemães e italianos buscavam o “Ouro Branco”, a Madeira, estabelecendo-se em diversos núcleos da região dos vales do Rio das Antas e do Rio Tainhas. Na ocasião, eram abundantes as florestas de Araucárias. 

O povoado foi fundado em 1900, por um grupo de pessoas, sendo uns recém chegados mediante a compra de meia colônia de sesmaria da família Machado, e outra parte da família Fernandes. Em 25 de Janeiro de 1916 o povoado criado com a denominação de Vista Alegre, foi declarado distrito do município de São Francisco de Paula de Cima da Serra. Pelo decreto estadual nº 7199, de 31 de Março de 1938, o distrito de Vista Alegre passou a denominar-se Chapéu, ainda pertencendo ao município de São Francisco de Paula.   

Já em 29 de Dezembro de 1944, pela Decreto/Lei Estadual Nº 720, o distrito de Chapéu passou a denominar-se Jaquirana, nome de origem Indígena YA-QUI-RANA que vem do Tupi Guarani, que significa Cigarra Cantadeira.

O patrimônio natural de Jaquirana, representado por um território físico de 907.936 km²​, é dotado de uma topografia caracterizado por montanhas, ondulações, vales, campos e áreas de mata nativa. O Município é recortado por rios, sendo o mais expressivo o Rio das Antas, Tainhas, Camisas e Garrafa.

O ponto mais alto do Município, é na localidade de Boa Vista com 1.102 metros acima do nível do mar. Sua população é de aproximadamente 5.000 mil habitantes. A principal atividade econômica do Município é a madeira, por isso é chamada de Jaquirana a ‘Capital da Madeira’, também o cultivo de pomares, criação de bovinos de corte e leiteiros e o crescimento do Turismo nos últimos anos.

Texto Site da Prefeitura de Jaquirana 2020.

Bike.png